Você sabe como o Google armazena conteúdo?

Quando é preciso encontrar algum conteúdo na internet, é comum abrirmos a página do Google para realizar uma busca. O site de buscas mais requisitado e renomado do mundo funciona por meio de um sistema de armazenamento de backups de motor, que é capaz de atender milhões de pesquisas feitas simultaneamente. É por isso que o espaço para acomodar novas páginas que surgem na internet deve crescer constantemente. Para se ter ideia, no total, esses processos consomem mais de 20 petabytes por dia.

Para o bom funcionamento da rede e a sua prospecção, a arquitetura de nuvens das grandes empresas separa os seus metadados – dados referentes a um conteúdo específico – a partir do conteúdo em si. Portanto, ao realizar uma busca de uma imagem, por exemplo, você primeiro acessa as informações sobre ela (dados) antes de acessar a foto. O objetivo desta técnica é reduzir o volume de conteúdo e facilitar os backups dos dados, visto que as atualizações devem ser feitas de maneira rápida e eficiente.

O sucesso e empenho para manter o bom funcionamento da rede é fruto do Google ter sido a primeira das grandes empresas a enfrentar o problema do crescimento da informação em larga escala.

Fonte

Internautas chineses aproveitam falha para acessar sites proibidos no País

Internautas chineses conseguiram burlar o “Grande Firewall” do país e acessar sites que eram considerados proibidos, como Facebook, Twitter e Youtube. De 27 a 28 de fevereiro, os usuários tiveram acesso a estes sites por meio de seus celulares e desktops.

Muitos internautas navegaram pela primeira vez por estas páginas e, por isso, aproveitaram para criar contas nesses serviços, segundo informações da Reuters.

A China censura alguns sites e, principalmente, as redes sociais. A justificativa é que ajuda a evitar a instabilidade do país. Mas, na prática, o governo chinês quer evitar que a população tenha conhecimento sobre situações de crise ou denúncia.

Para suprir a necessidade da população chinesa, são criadas redes sociais similares as grandes redes mundiais.

Fonte do texto e da imagem

Google altera política de privacidade

O Google estreiou, na última quinta-feira (1), a nova política de privacidade de todos os seus seviços, incluindo Youtube, Gmail e Google+. A medida visa que as informações coletadas em um dos sites da empresa sejam compartilhadas nos demais serviços.

Uma pessoa que possui uma conta no Google+, por exemplo, poderá acessar seus contatos do Gmail e vice-versa.

De acordo com o Google, a medida de unificação facilitará o controle das redes e o vazamento de informações. Além disso, o novo modelo é ainda mais acessível e prático para os usuários.

Fonte

Curiosidades sobre o Facebook

Uma pesquisa realizada pela Hitwise América do Norte apontou 10 dados estatísticos que comprovam a extensão e notoriedade do Facebook e o seu mercado em todos os países.

- A maior parte dos usuários do Facebook tem entre 25 e 34 anos.

-Mais de 50% dos usuários possui renda superior a US$ 30.000, o equivalente a mais de R$ 50.000.

-Todos os usuários voltam ao site, cerca de 96%

-A rede social foi a mais procurada em pesquisas online

-O país que mais recebe visitas na rede é o Canadá, seguido do Brasil.

-Cerca de 60% dos usuários são mulheres

-O tempo médio de permanência na rede é de 20 minutos

-O Facebook capta uma em cada onze visitas de Internet nos Estados Unidos. Isso representa 9% de todos os acessos no país.

-Uma em cada cinco páginas visualizadas nos EUA é do Facebook.

Youtube continua crescendo, com cerca de 4 bilhões de visualizações por dia

O site Youtube não para de crescer, e os números confirmam isso. Apenas nos últimos 8 meses, a página teve 25% de crescimento em visualizações, chegando a um número de 4 bilhões por dia.

De acordo com a Reuters, 1 hora de vídeo é colocada no site, a cada segundo. Ou seja, por dia são enviados vídeos que demorariam uma década para serem assistidos. Se considerarmos 10 dias, o número sobe para 1 século de novos vídeos na página do site.

A presença do Youtube em smartphones, smartTVs e tablets contribuiu, e muito, para este aumento nos números de visualizações.

E se você tem vontade de descobrir números bem legais sobre o Youtube, o site criou a página One Hour Per Second. Lá, é possível descobrir, por exemplo, que em 1,5 segundos, o tempo de vídeo enviado é o mesmo que a Estação Internacional Espacial demora para completar uma órbita ao redor da Terra, ou que, em 1 minuto e 3 segundos, o tempo de vídeos enviados é suficiente para que cerca de 1 milhão de bebês nasçam. Acesse e sane suas curiosidades.

Fonte

Fonte da imagem

Google indica mudança no ambiente tecnológico

Um dia após apresentar certos problemas em seus resultados, o gigante da Internet, Google, teve queda de 8% em suas ações e não alcançou suas metas em termos de faturamento, o que evidenciou, ainda mais, seus esforços acelerados para encontrar espaço nos mercados móveis e de redes sociais.

Investimentos no software móvel Android e na rede social Google+, semelhante ao Facebook, representam oportunidade essencial de crescimento para a companhia, no futuro. Mas Wall Street ainda está tentando compreender seu impacto de longo prazo sobre o negócio do Google.

A rede social Google+, recentemente lançada pela companhia, tem 90 milhões de usuários no momento, ante 40 milhões há três meses. A plataforma móvel Android mais usada do mundo, à frente do iOS, da Apple, sendo um importante acesso dos consumidores a diferentes serviços do Google, e elevando o número de pessoas que veem os anúncios veiculados pela empresa.

No entanto, o valor recebido pela publicidade destinada a aparelhos móveis,em curto prazo, parece ser menor que o pago pela publicidade veiculada em seu serviço de buscas convencional. Além disso, segundo os resultados apresentados na sexta-feira, o custo por clique (CPC) – ou seja, o valor pago pelos anunciantes quando um usuário clica em anúncios vinculados a resultados de buscas – caiu pela primeira vez em dois anos, apesar do recorde atingido pelo comércio eletrônico nos Estados Unidos durante a temporada de fim de ano.

O presidente do conselho e vice-presidente de investimento da Jacob Funds, que detém ações do Google, Ryan Jacob, relata que seria relevante estudar melhor o efeito de um aumento na proporção das buscas do Google conduzidas via aparelhos móveis .“Eles não vêm obtendo o mesmo tipo de preços do lado móvel que costumam obter nas buscas em computadores”, disse Jacob.

A grande preocupação dos investidores deve-se a o fato dos pesados investimentos do Google em iniciativas móveis e de redes sociais para enfrentar concorrentes como a Apple e o Facebook, além da compra da fabricante de celulares Motorola Mobility por 12, 5 bilhões de dólares.

Fonte

Fonte da Imagem

Twitter – 4 aplicativos que vão ajudar você a gerenciar seu perfil pessoal

Falamos nessa semana sobre o crescimento do Twitter, que deve chegar a meio milhão de usuários no próximo mês. Os fãs dessa rede social podem encontrar uma série de ferramentas para o gerenciamento de suas respectivas contas. Confira quatro dicas de aplicativos que podem ajudar você a administrar melhor seu perfil pessoal.

1. Tweepi

Com opções simples, o Tweepi é uma ótima sugestão para o gerenciamento dos seus followers. A opção “Flush” permite que você veja quais usuários você segue e quais não estão te seguindo. Já a “Reciprocate” mostra os usuários que você segue e te seguem de volta, enquanto a “Cleanup” lista todos os perfis que você está seguindo. Além disso, a ferramenta organiza bem as informações dos usuários, e também permite que você veja quem dos seus amigos estão te seguindo, entre outras facilidades.

2. Tweet Eraser

Este aplicativo permite que você encontre e delete seus tweets de acordo com o dia, hashtag ou determinado texto.


3. Twuffer

Com o Twuffer, você pode agendar a postagem dos seus tweets para o dia e horário que preferir.

4. TwitWipe

A funcionalidade do TwitWipe é muito parecida com a do TwitEraser, mas ele permite que você apague todos os seus tweets já postados sem ter que deletar sua conta no Twitter.

Fonte