Esqueça o site em Flash

Atualmente as pessoas passam várias horas do dia navegando. No Brasil, esse tempo é um dos maiores por dia do mundo. Como elas se comportam quando procuram um produto? Quando procuram um serviço? Quando querem saber mais sobre um assunto? Quando querem escolher um hotel, uma pousada? Quando vão viajar para outro país ou quando acabaram de conhecer uma pessoa ou assistir uma palestra? Bom, o que você faz? Você vai ao Google! Ir ao Google também pode significar você procurar no Yahoo! ou no Bing (buscador que a Microsoft acaba de lançar).

Como funcionam os mecanismos de busca?

Os mecanismos de busca funcionam basicamente navegando por todos os sites e catalogando as informações que ele encontra. Fazendo um gigante banco de dados onde os sites são organizados por relevância nos temas. É muito importante então que o site, seja ele qual for, deixe claro para os buscadores suas informações… o que ele faz, onde… etc…para que os mecanismos de busca possam entendê-lo e assim, apresentá-los para os bilhões de usuários que fazem buscas diariamente sobre qualquer assunto.

Quais os problemas de um site em flash?

Quando você faz um site em flash, você tranca as informações. Os buscadores entram no site e não vêem nada. É como se fosse uma página em branco!

Mas ai você me diz: “meu site está em primeiro no Google”. Bom, provavelmente está quando você procura seu domínio. Se o domínio é pizzarialatraviatta.com, e o usuário procura pela “pizzaria la traviatta”, provavelmente a primeira opção será o domínio (mesmo vazio!)… só que, se o usuário já sabia o nome da pizzaria com tanto detalhe, porque ele pesquisaria no Google e não simplesmente entraria direto na url? E se ele quiser saber sobre pizzaria no bexiga? Pizzaria perto do metrô X? Ou até “melhor pizza de abobrinha”, que é a especialidade da casa? E se ele estiver procurando pelo Sr. Manollo Traviatta, famoso pizzaiollo que fundou a casa quando chegou da Itália na década de 50?  A informação estava toda lá, animada, bonita, mas estava travada dentro de um arquivo flash! Isso é, nada disso o Google viu, nada disso  o Google pode informar ao usuário que acabou comendo pizza de abobrinha no Brás!

Bom, não tenho absolutamente nada quanto o uso do flash. Muito pelo contrário. Ele serve como complemento da informação, contendo animações e elementos gráficos que agregam à visita do internauta. O erro fatal é colocar ali dentro informações que possam ser buscáveis pelos usuários ou elementos de navegação que bloqueiem a visita dos motores de buscas (Google, Bing, Yahoo!).

Esse é um dos motivos, mas não para por aqui!

Atualmente 50% da verba do marketing digital é gasto em campanhas de search, campanhas nos buscadores, quase na sua totalidade nos links patrocinados (Google Adwords, UOL links, Yahoo links, etc). Anunciar nos links patrocinados é falar com o usuário no momento que ele procura exatamente seu produto. Todas as empresas estão fazendo e dá MUITO resultado. Se você tem um site em flash, você estará comprando um link que, para o buscador, está mandando o usuário dele para uma página em branco. Mesmo quando toda a informação está ali! O sistema de links patrocinados achará que você não é relevante para aquele link e cobrará um agio. Esse agio pode ser de até 300%.

Vamos ao exemplo da pizzaria la traviatta que tem o site todo em flash e a pizzaria do Brás que tem o site todo “achável”. Bom, a pizzaria traviatta descobriu que anunciando em links patrocinados, todas suas mesas ficam ocupadas. Para isso ele paga 1 real por click! O Brás então resolve anunciar na mesma palavra só que o buscador vê a palavras “abobrinha, pizza” na página do Brás e não vê nada na página da pizzaria la traviatta. Bom, o Brás pagará apenas 20 centavos e ficará na frente e para competir nosso amigo terá que investir muito mais o que começará a não dar mais lucro. Graças a um querido designer que trancou todo o conteúdo dos buscadores dentro de um flash com 7 chaves!!!

Outra busca importante é a busca por imagens. Atualmente, quase 10% das buscas são buscas por imagens. Pizzaria traviatta tem várias imagens incríveis, animadas, em seu site em flash. Mas os buscadores não conseguem vê-las! Então somente irão aparecer imagens das pizzas do Brás, para o usuário que busca pizza de abobrinha. E não é que o usuário busca apenas imagens, mas note que a busca do Google apresenta abaixo do quinto resultado, imagens que ele encontra.

Temos também outra coisa importante! A internet é o melhor lugar para você mensurar suas ações de mídia. Você compra um espaço no guia de pizzas, por exemplo, e paga 100 reais por dia. Você consegue ver exatamente a navegação do usuário, saber quem foi para a página de pedido e até quem comprou. Assim, você consegue direcionar melhor sua verba e não tem tiro errado. Se você anuncia num lugar e ele não dá resultado, rapidamente você consegue corrigir seu rumo, cancelando aquela publicidade, alterando o texto ou até aumentando a verba caso ela dê muito resultado.

O que o site em flash atrapalha nas ações de mídia?

Bom, para fazer essa mensuração, basta incluir tags em todas as páginas HTML, 5 minutos. Se você tem o site todo em flash, a programação para fazer esse controle vai ser dramática e cara. Nunca vi ninguém que fizesse com sucesso. Para controlar métricas em um site em flash é um trabalho complexo.

Mais uma coisa, atualmente você sabe que o número de Smartphones está aumentando vertiginosamente. As pessoas acessam a internet em qualquer lugar! O iPhone antes de lançar oficialmente no Brasil já representava 70% de toda a navegação nas redes de celular, mas o iPhone NÃO lê sites em flash! Alguns Smartphones até se dizem compatíveis, mas ter um site em flash é desprezar iPhone, smartphones, etc…

Resumindo, imagina você abrir uma loja linda no shopping e criar uma parede na frente! Para o usuário entrar, somente por um espaço de 1m por 1m no canto esquerdo no chão, onde o usuário precisa se abaixar e entrar quase rastejando pelo chão. Se você tem um site em flash, é isso que está fazendo. Está fazendo um site para pessoas que já te conhecem, que já estão dentro da loja e está esquecendo toda as pessoas que passam pela porta de sua loja a todo o momento, e que estarão vendo somente uma parede. O argumento do designer é muito bom: meus clientes já sabem que minha loja é a 27b no segundo andar e se alguém quiser, procura no guia de lojas na entrada do shopping, e lá está escrito que minha loja fica no 27b, para que uma vitrine?

Se alguém tem um site assim é porque não está interessado nesse público ou não entende nada sobre internet (coisa bem comum). Praticamente todos os sites sérios  investem muito em SEO, que é exatamente a otimização do conteúdo para os buscadores e fogem da praticidade do flash. Você já viu um e-commerce em flash? Que tal Apple, Google, Microsoft… será que eles entendem? Submarino, UOL, CNN, youtube… porque será que eles não tem site em flash? Quem faz o flash é a Adobe… ih… ela também não tem o site em flash!

Luiz Augusto, Diretor de Operações da Media Factory.

This entry was posted in Ações de Marketing Digital, Sobre o marketing digital, Tendências do Marketing Digital by mediafactorydigital. Bookmark the permalink.

About mediafactorydigital

Sobre a Media Factory Com apenas três anos de atuação do mercado, a Media Factory, uma das pioneiras no conceito de marketing de performance, amplia sua operação e prevê crescimento recorde de 200% para 2011. Em 2010, a Media Factory uniu suas operações com o grupo europeu de marketing de performance Lead Media para intercâmbio global de conhecimento na área de marketing digital. A expectativa da empresa é atingir um faturamento de mais de US$25 milhões em 2011, com um time global de mais de 100 especialistas situados em Paris, São Paulo e Los Angeles. Atualmente, a empresa possui unidades operacionais rentáveis na Argentina, Espanha e México. A empresa, que é uma das pioneiras no conceito one stop shop, tem como clientes a rede de supermercados Wal Mart, Compra Fácil, Onodera, Digitalks, MoIP Pagamentos, GE Money e Vivo.

6 thoughts on “Esqueça o site em Flash

  1. Olá muito bem colocado.
    Tínhamos por muito tempo um site em flash não tinha indexação alguma.
    Com a necessidade de divulgar a campanha ambiental de nossa ONG descobrimos o Joomla.
    E hoje estamos melhorando o posicionamento, e otimizando as marcações.
    Abraço a equipe Media Factory.
    Wiliam Aquino

  2. O seu argumento gira em torno de um e-commerce, e concordo que nesse caso o flash deixa muito a desejar, agora cada cliente deve ser tratado de forma particular, o que é absolutamente funcional para um pode não ser para outros. E-commerce é e-commerce, um site institucional é um site institucional e um hot site é um hot site, e cada caso deve ser estudado e feito de forma totalmente diferente uma da outra, para isso os profissionais de web deverão estar preparados para fazer a melhor escolha, não existe uma fórmula absoluta. Na realidade acho que a verdade absoluta só existe para quem realmente não entende nada sobre internet, já que todos os dias coisas novas aparecem e desaparecem na web.

    Em relação a mensuração de ações de mídia, você comete um equivoco quando diz que não tem como mensurar os conteúdos mais ou menos clicados. O Google Analytics dá um resultado preciso de quais arquivos e quantas vezes o mesmo foi acessado. Exemplo, quando um profissional de flash faz um site ele cria um swf, jpg, xml… por página e no Google Analytics podemos ver quantas vezes esses arquivos foram acessados, tanto no geral quanto por IP único e assim controlar métricas em um site em flash. Existem algumas pessoas que se dizem “webdesign” e fazem um site inteiro em um único arquivo de flash, é a forma incorreta de se trabalhar com o flash, assim como alguns que defendem o não uso do flash e fazem o site todo com tabelas, acredito que suas conclusões foram tiradas a partir desses casos isolados.

    Também em relação a ações de mídias podemos citar os cases da agência click, que hoje é referência nacional e internacional nesse tipo de conteúdo para web, que trabalha muitas das vezes com sites todos feitos em flash e conseguem dados detalhados, mensuração, e métricas de todas as ações que fazem constantemente.

    Acredito que uma agência, como essa, que tem em sua carteira de clientes a Coca Cola, Fiat, WWF, Banco Itaú… e que já ganhou prata em “Aegis Awards”; prata, ouro e bronze em “Cannes Lions”; ouro e “New York Festival”; preta e bronze em “Clio Awards” e dezenas de outros prêmios pode e deve ser usada como referência de como “acertar”.

    Mais uma vez, na realidade a tecnologia usada vai ser definida após definir o objetivo do site, e não o inverso.

  3. O título do post “Esqueça o site em Flash”.
    Quando a internet começou a crescer e as informações chegavam absurdamente rápida aos olhos de quem a procurava, muitos sábios nos deram certeza de que o jornal impresso teria seu fim. Quando a internet chegou ao ponto de nos oferecer conteúdo de vídeo com qualidade e velocidade a ponto de vermos longa metragem diretamente no computador muitos diziam que o fim da “TV” estava chegando.

    Hoje sabemos que essas e outras previsões não são realidades. Certamente, muitas das vezes um site deve ser feito sem o uso do flash, mas discordo totalmente que não se deve fazer sites em flash.

    O objetivo na realidade deve ser definido antes de se escolher a tecnologia que será usada. A eficiência está diretamente ligada ao resultado esperado (objetivo), exemplo: Se o seu foco for indexação em sistema de busca, sem dúvida, flash não é nem de longe a melhor opção. Agora se o foco for entretenimento, experiência de navegação diferenciada, impacto, beleza, animação… O flash é sem dúvida a melhor opção, tanto que muitas empresas grande e importante também usam o flash como tecnologia na criação de seus sites e hotsites, como Coca Cola, Samsung, Gatorade, Skol, Diesel, Nike, Red Bull, Motorola, LG, Adidas…

  4. Acho que com o artigo da pra concluir que:

    Se você quer ser relevante num assunto nos sistemas de busca, ser encontrado sem precisar investir em links patrocinados, etc? Não use flash.

    Você está preocupado com a experiencia do usuário, nao em ser achado, você é a Coca e todo mundo vai entrar no seu site pq é legal, use Flash sem problemas.

    Cada um tem que saber aonde se encaixa, mas qualquer um q pretende fechar negocios pela internet precisa pensar um pouco, provavelmente ele se encaixa na primeira opção. Não precisa ser e-commerce, basta querer retornos, de qualquer forma, como numa landing page.

  5. é Rafael, acho que deixei isso claro também. Apesar de o google indexar sim flash. Botões, textos, links… Tudo isso (se trabalhado da maneira correta) o flash indexa, a única coisa que ele realmente ainda não indexa são as imagems.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s