Redes Sociais e Campanha Política

As Redes Sociais podem se tornar ferramenta importante para campanhas políticas. Como?

O atual presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, foi um dos exemplos de sucesso. A sua campanha política teve as redes sociais como ferramenta muito importante. Durante a candidatura do atual presidente, houve um investimento pesado na internet, foram contratados estrategistas digitais e especialistas capacitados em compreender o comportamento dos usuários de redes. O impulso mais forte se deu pela união das pessoas em busca de uma só causa, que fez com que uma corrente se formasse, espalhando o ideal da campanha no mundo digital com força e rapidez.

As estratégias de campanha utilizadas por Obama inspiram a maioria das agências que realizam esse tipo de trabalho hoje. Acontece, que o efeito causado pela campanha no Estados Unidos está um pouco longe de se tornar realidade no Brasil. Entre os motivos podemos destacar a doação de dinheiro para campanhas. No caso dos Estados Unidos, existe o costume de se doar dinheiro para as campanhas eleitorais, enquanto no Brasil é quase impossível encontrar cidadãos que se disponham ou queiram doar dinheiro para candidatos. As Redes Sociais foram nesse caso, o ponto de união dos possíveis doadores e a forma de entrar em contato com a campanha, formando uma rede de troca.

Apesar disso, temos estatísticas que trazem otimismo e uma visão de que o futuro da campanha política nas redes pode se tornar um canal expressivo e muito importante daqui pra frente. Confira algumas delas:

– O Brasil é o quinto país que mais acessa redes sociais (dados comScore)

– Em relação ao ano passado, temos um crescimento de 47%

– 32 milhões de eleitores brasileiros tem acesso a internet

– A Reforma Eleitoral(2010) permite o uso das redes para que os partidos recebam doações(inclusive com cartão de crédito e boleto bancário)

– Redes como o Facebook, Twitter e Youtube tem também seu uso autorizado nessas eleições

Em 2008, durante as eleições legislativas em Angola, foi utilizada uma estratégia criativa, que causou aproximação dos políticos com os eleitores. A intimidade foi criada por meio da utilização das redes de forma informal, como por exemplo um comentário de um político sobre a música que ele estava ouvindo. Isso gerou uma humanização do político, trazendo ele para perto dos eleitores. A resposta desse tipo de ação foi tão positiva que o Movimento de Libertação de Angola (MPLA) arrecadou 80% dos votos.

De acordo com o consultor Gaudêncio Torquato, especialista em marketing político, as redes podem sim mudar a participação dos brasileiros durante as campanhas políticas. “Nunca se viu tanta propagação de mensagens de interesse político na internet: se acontece um escândalo, uma votação polêmica em Brasília, imediatamente as pessoas começam a se manifestar nos blog e twitters”, declarou Torquato.

Ainda, de acordo com o consultor, existe um crescimento do interesse por parte das consultorias na área. Cada vez mais, estão sendo discutidas novas estratégias de marketing político, e a utilização atual já é indiscutível, resta aguardar os resultados, que prometem.

Para mais informações sobre marketing digital, redes sociais e campanhas políticas online acompanhe o nosso Twitter e página no Facebook.


Anúncios
This entry was posted in Ações de Marketing Digital, Tendências do Marketing Digital and tagged , , by mediafactorydigital. Bookmark the permalink.

About mediafactorydigital

Sobre a Media Factory Com apenas três anos de atuação do mercado, a Media Factory, uma das pioneiras no conceito de marketing de performance, amplia sua operação e prevê crescimento recorde de 200% para 2011. Em 2010, a Media Factory uniu suas operações com o grupo europeu de marketing de performance Lead Media para intercâmbio global de conhecimento na área de marketing digital. A expectativa da empresa é atingir um faturamento de mais de US$25 milhões em 2011, com um time global de mais de 100 especialistas situados em Paris, São Paulo e Los Angeles. Atualmente, a empresa possui unidades operacionais rentáveis na Argentina, Espanha e México. A empresa, que é uma das pioneiras no conceito one stop shop, tem como clientes a rede de supermercados Wal Mart, Compra Fácil, Onodera, Digitalks, MoIP Pagamentos, GE Money e Vivo.

One thought on “Redes Sociais e Campanha Política

  1. Olá, Desenvolvemos uma plataforma virtual, colaborativa, baseada em Creative Commons para criar um mosaico com fotografias de BH sob o olhar do cidadão comum.É um espaço para os olhares “amadores” de Belo Horizonte (no melhor do duplo sentido!) O projeto é patrocinado pelo PSB, do prefeito Marcio Lacerda, já temos a sinalização para a divulgação do resultado em Exposições itinerantes até o final do ano em praças e circuito cultural de BH. Independente da ligação política não deixa de ser uma forma nova, não poluente (inclusive visual) e colaborativa, muito diferente das ações que enfeiam e sujam a cidade, dê sua opinião.
    Visite o site http://www.40horizontes.com.br
    Muito obrigado!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s