Novas tendências das redes sociais em 2012

Não é nenhuma novidade que as redes sociais são um fenômeno que vieram para ficar. Após um 2011 muito bem sucedido, as empresas passaram a compreender a necessidade de mídias digitais para a prospecção de clientes e, até mesmo, para a manutenção de sua imagem.

Diariamente, bilhões de pessoas utilizam as redes sociais para se comunicar e buscar seus interesses. Alguns estudos já indicam que as redes são o principal meio de compartilhamento e consumo de informação. O principal benefício para as empresas está na questão de que é possível planejar seus investimentos para este fenômeno, como relatou uma pesquisa elaborada pela Amcham.

Para 2012, as principais tendências estão relacionadas, principalmente, ao compartilhamento de conteúdos e ao uso de SEO crescendo constante e gradativamente no mercado. Outra forte tendência para o mercado é a Otimização de Mídias Sociais, já que esta é uma ferramenta de marketing relativamente simples e muito bem sucedida.

Além disso, o crescimento do mercado de dispositivos móveis também possibilitou o desenvolvimento de aplicativos direcionados aos sistemas Android, IOS, entre outros. Outra forte aposta do mercado é a publicidade social, ou seja, rede sociais envolvidas com divulgações, como é o caso do Facebook Ticker, Promoted Tweets do Twitter e anúncios do Google no Youtube.

Após o investimento milionário do Facebook na compra do Instagram, acredita-se que o compartilhamento de imagens seja outra grande aposta para o ano.

Você sabia que a Media Factory oferece um dos melhores serviços de SEO, Otimização e Indexação do mercado? Acesse o nosso site e saiba mais sobre os nossos serviços.

Fonte

Anúncios

Dados pessoais não são revelados na nova política de privacidade, diz Google

No último mês de março, foi alterada a política de privacidade do Google. Segundo o diretor de Políticas Públicas e Relações Governamentais do Google do Brasil, Marcel Leonardi, a nova medida não permite que sejam divulgados os dados pessoais de seus usuários.

Nenhuma informação pode ser compartilhada sem a devida autorização do usuário, exceto em casos de cumprimento de ordens judiciais. Ainda de acordo com Leonardi, dentro dos próprios serviços, há a ferramenta “gerenciadores de preferências”, na qual o usuário pode controlar a sua privacidade.

A nova política foi adotada para a unificação dos termos de serviço de todos os produtos do Google, como YouTube, Gmail, Blogger e Google+. A ideia é fazer a coleta de informações pessoais mais transparente, ou seja, as informações coletadas em um dos sites da empresa podem ser compartilhadas pelos demais serviços. Os contatos que o usuário tem no Gmail, por exemplo, aparecem quando ele acessa o YouTube, e vice-versa.

Fonte

Fonte da imagem

Aprenda, passo a passo, como monitorar as redes pelo Google Analytics

Muito mais importante do que fazer parte de uma rede social é saber monitorá-la. Fazer a análise de tráfego do Facebook, Twitter e Google+ pode ser muito simples, por meio da ferramenta Google Analytics.

A primeira etapa é se cadastrar no Google Analytics, isso pode ser feito da sua própria conta do Gmail (basta acessá-la e depois clicar na ferramenta). O próximo passo é saber calcular quantas visitas se recebeu. Para isso, vá até a sessão “Fontes de Tráfego”, selecione “Fontes” e depois “Todo o Tráfego”. A partir deste recurso, você poderá contabilizar a lista de todos os sites que redirecionaram internautas para a sua página.

O passo seguinte é identificar as redes sociais presentes na lista. Os termos “twitter.com”, “t.co”, “hootsuite”, “tweetdeck” e “bit.ly”, por exemplo, se referem ao Twitter. Após isso, crie um “grupo de tráfego”. (Clique nas opções avançadas do Google Analytics e em “Novo Segmento Personalizado”).

Você pode fazer quantas listas quiser, de acordo com os seus visitantes e com as redes sociais com as quais sua empresa trabalha (Google+, LinkeIn, Delicious, Youtube, Flickr, MySpace, Tumblr e outros).

Lembrando que o serviço é disponibilizado gratuitamente para os usuários, no entanto, com uma equipe especializada, que cria relatórios e possui maior experiência com a ferramenta, é possível aproveitá-la muito mais e otimizar as campanhas.
A Media Factory possui vasta experiência com o Google Analytics. Para maiores informações, acesse: http://www.mediafactory.com.br/2010/?p=185

Fonte

Está nascendo uma nova tendência no comércio eletrônico?

Alguns empresários e investidores acreditam, cada vez mais, que o comércio eletrônico, por meio da rede social Facebook, será capaz de concorrer com Amazon.com e eBay. Por isso, empresas americanas iniciantes estão desenvolvendo novas maneiras de convencer os usuários do Facebook a usar a rede social para fazer compras.

Para que esse processo aconteça de maneira eficiente, essas empresas iniciantes, que contam com o apoio do capital de investidores, estão criando aplicativos de compras, organizando vendas caseiras e testando novos modelos de negócios no Facebook.

“O comércio eletrônico é uma categoria grande e com ventos favoráveis, e entrar nesse segmento é um passo natural para o Facebook, disse Sam Schwerin, da Millennium Technology Value Partners, que detém ações do Facebook e investiu na BeachMint.

No final do ano de 2011, o Facebook tinha 845 milhões de usuários ativos ao mês, superando a marca de 164 milhões de usuários da Amazon e os 110 milhões do eBay.

Basta saber, agora, como as empresas farão para conquistar clientes no Facebook, uma vez que, seus usuários fazem uso da rede para conexão com amigos e não como recurso de compras online. A grande prova dessa dificuldade são as grandes redes de varejo americanas, J.C. Penny, Gap e Nordstrom, que criaram lojas no Facebook e as fecharam por poucas vendas.

Fonte

Fonte da imagem

Por que investir em Marketing Digital?


O Marketing Digital pode ser compreendido como a estratégia de marketing aplicada na internet e nas plataformas digitais, com o objetivo de melhorar sua comunicação, divulgação e relacionamento nas redes sociais, além prospectar e conquistar novos clientes e comercializar novos produtos.

O fundamento básico do Marketing Digital é obter a mesma eficiência e eficácia do marketing tradicional, mas de forma potencializada, dinâmica e direcionada aos meios digitais. Para isso, baseia-se em sete principais focos de estudo e aplicação: Marketing de Conteúdo, Marketing nas Mídias Sociais, E-mail Marketing, Marketing Viral, Publicidade on-line, Pesquisa on-line e Monitoramento.

A explicação para a ascensão deste tipo de investimento está diretamente ligada ao crescimento do tempo gasto pelas pessoas nas redes sociais. Atualmente, não é possível que uma empresa tenha sucesso nas plataformas digitais sem que haja uma presença efetiva nas redes. Uma boa recomendação é criar um blog corporativo e participar do Facebook e Twitter, pois, a partir deles, a empresa consegue interações e segue os sete princípios propostos no Marketing Digital. Além disso, investimentos em social ads podem ser uma segmentação muito positiva à organização.

O CEO da Media Factory, Leandro Kenski, comentou em entrevista para a Revista Exame o porquê pode ser tão interessante para as empresas fazer este tipo de investimento. “Investir para que sua empresa apareça bem posicionada nos resultados dos buscadores continua sendo uma estratégia vencedora, pois é nessa hora que seus potenciais clientes estão efetivamente procurando pelo produto ou serviço que você oferece. Um plano para SEO (otimização para os buscadores) e links patrocinados podem ajudar. Boa parte da verba investida no Marketing Digital das empresas segue este caminho.”, explicou.

Como qualquer investimento em marketing, é muito importante que a empresa tenha bem claro os objetivos que queira alcançar com o investimento. Ainda segundo Kenski, independentemente das ações que a empresa adote, é sempre positivo planejar, executar, otimizar e garantir que tudo seja medido adequadamente, para o bom funcionamento do marketing digital.
Fonte

Fonte da imagem

Número de usuários no Pinterest cresce mais de 2700% desde 2011

Um estudo conduzido pelo site Daily Infographic revelou que o Pinterest teve um crescimento de 2702,2% em número de visitantes desde maio de 2011, quando foi criado. Ainda de acordo com a pesquisa, os internautas tem entre 25 e 34 anos.

Os usuários do Pinterest passam mais tempo na página (cerca de 15, 8 minutos) do que na rede criada por Mark Zuckerberg (12 minutos). Outro fator relevante sobre o uso da rede é que o percentual dos usuários que migram para outras páginas graças ao Pinterest é bem grande: são 3,6%, mais do que Youtube (1%), Google+ (0,22%) e LinkedIn(0,22%) juntos, por exemplo.

Uma curiosidade sobre o Pinterest é que 70% dos usuários da rede social são mulheres, o que faz com que seus assuntos de maior destaque sejam roupas, comida e textos motivacionas.

Ao que tudo indica, a nova rede social tem agradado bastante internautas e curiosos. Uma previsão é que o Pinterest ultrapasse o Google+ e se torne um concorrente interessante para o Facebook.

Fonte

Venda de computadores sofre queda em 2012

Com o crescimento constante das vendas de Androids, iPhones, iPads e smartphones, a venda de computadores pessoais começou abaixo do previsto em 2012. Segundo a consultoria Gartner, a expectativa para este ano é de um crescimento de 4,4%, mas, ainda assim, é menor que a prevista.

O principal motivo para isto acontecer é que o Windows 8 (novo sistema operacional da Microsoft) e os ultrabooks criarão uma oferta empolgante, que deixe os usuários com vontade de comprar.

Outro fator importante para esta mudança na economia é que, antigamente, e-mails, redes sociais e acesso à internet eram de domínio exclusivamente do computador, e agora estão sendo usados em tablets e smartphones.

Fonte