Falha de segurança pode comprometer novo sistema iOS

Ao que tudo indica, a maneira como o Safari, navegador padrão do sistema móvel da Apple, abre os sites para o novo sistema do iOS pode gerar complicações para os seus usuários. Isso porque, se o navegador for manipulado da maneira correta, ele poderá abrir uma página falsa e mostrar, na barra de endereços, um site legítimo.

A falha foi descoberta pelo pesquisador David Viera-Kurz, que também criou um site falso para apontar o erro do sistema, a partir de uma página hospedada em seu próprio servidor, que é possível exibir o endereço apple.com.

A nova versão 5.1 do iOS foi lançada no início deste mês. A notificação feita por Viera-Kurz possibilita à Apple fazer as alterações necessárias.

O estudo ainda concluiu que os navegadores do Windows Phone e Android não são vulneráveis a este tipo de falha.

Fonte

Fonte da imagem

Novo iPad é lançado com tela em melhor resolução

A Apple anunciou, na última quarta-feira (7), que a grande novidade do novo iPad é a tela, que foi batizada de Retina e possui resolução de 2048 x1536 (número de pontos que são exibidos na tela), com 3,1 milhões de pixels. O iPad 2, em comparação, tinha tela com resolução de 1024 x 768.

De acordo com o professor da Escola Politécnica da USP e coordenador do centro interdisciplinar de tecnologias interativas da Universidade, Marcelo Zuffo, o novo iPad oferece uma tecnologia mais avançada e segue a qualidade dos produtos oferecidos pela Apple.

Para os especialistas, o destaque está, também, na câmera de 5 mpixels. Além disso, o poder de processamento aumentou, com o processador A5X, a conexão será de 4G e o tablet virá, ainda, com o novo sistema IOS.

Fonte

Acordo sobre privacidade é assinado por Apple, Google, Amazon e Microsoft

A secretária da Justiça da Califórnia, Kamala Harris, declarou que as maiores companhias de tecnologia firmaram acordo para disponibilizar informações em relação às suas normas de privacidade antes que seus usuários baixem aplicativos, com o intuito de proteger os dados pessoais de milhares de consumidores.

Agora, Amazon, Apple, Google, Microsoft, Research In Motion e Hewlett-Packard, além dos programadores que criam software usando suas plataformas, terão que revelar de que forma utilizam dados privados, antes que um aplicativo seja baixado.

Segundo Harris, atualmente, 22 dos 30 aplicativos mais baixados não oferecem informações quanto à privacidade. Alguns deles permitem acesso às agendas de contatos dos usuários. “A maioria dos aplicativos móveis não se esforça em explicar ao usuário de que forma suas informações são usadas. O consumidor precisa ser informado quanto ao que está cedendo”, ressaltou a secretária.

Fonte

Fonte da imagem

Entenda como funciona o IPO do Facebook

A rede social Facebook terá, a partir de maio, presença na bolsa de valores de Nova York. A expectativa é arrecadar S$ 5 bilhões com a oferta pública de ações (IPO, na sigla em inglês).

Se tudo prosseguir desta maneira, esta será, até agora, a melhor inauguração de uma empresa de internet, pois superará o Google, que arrecadou quase US$ 2 bilhões em agosto de 2004, ano em que a rede de Mark Zuckerberg foi criada. Analistas estimam que, ao abrir capital, a rede chegaria ao patamar de US$ 100 bilhões, o que permitiria que o Facebook atingisse a sétima posição entre as empresas do setor de tecnologia das Américas, ainda atrás da líder Apple e da Microsoft, IBM, Google, Oracle e Cisco.

O Facebook possui, atualmente, 845 milhões de usuários no mundo, sendo 36 milhões apenas no Brasil. Cerca de 250 milhões de fotos são publicadas diariamente, além dos mais de 2,7 bilhões de posts e curtir.

A previsão é que, em agosto de 2012, a rede social possua 1 bilhão de usuários.
Fonte

Fonte da imagem

Tablets substituirão PCs, acredita CEO da Apple

O CEO da Apple, Tim Cook, acredita que as vendas cada vez mais intensas do iPad podem significar que os PCs serão substituídos, sim, pelos tablets.

Foram vendidos cerca de 55 milhões de iPads, desde seu lançamento em 2010, e só no último semestre, a Apple vendeu 15,4 milhões deles. Por todos esses dados, Cook afirma que os tablets são o futuro do mundo high tech. Em uma entrevista para o site TechCrunch, ele ressaltou ainda que o iPad está não só passando por cima das vendas do Mac, mas também, das vendas de computadores com Windows.

“As pessoas realmente querem múltiplas funções em seus tablets. Não queremos ver tablets com funções limitadas, como esses e-readers, colocados na mesma categoria. Não imagino pessoas que querem um iPad optando por dispositivos com funções limitadas”, disse, sem mencionar seu principal rival, o Kindle Fire.

E você, acha que os tablets realmente superarão os PCs?

Fonte

Fonte da imagem

Adolescente desenvolve aplicativo que resume textos da web em pontos importantes

Nick D’Alonso é o adolescente britânico, de apenas 16 anos, que criou um aplicativo que resume textos da web em pontos importantes, aplicativo este chamado de Summly e disponível para Iphone. A ideia já atrai diversos investidores da área de tecnologia, incluindo um dos homens mais ricos do mundo Li Ka-Shing.

A Apple escolheu o programa como o aplicativo da semana, tendo sido baixado cerca de 115 mil vezes. O Summly não fez fama à toda: sua facilidade com buscas na rede e o resumo dos resultados encontrados em pontos de maior relevância, usando o histórico de pesquisa do usuário, chamaram atenção. E, acima de tudo, ele é gratuito.

Nick se reuniu com investidores do Vale do Silício, e já pensa em licenciar ou vender a tecnologia. “Ter o apoio da Apple tem sido incrível. Seis meses atrás, quando eu estava aprimorando a idéia, sabia que tinha potencial, mas a velocidade que as coisas têm tomado me surpreendeu”, comentou o estudante. Ele ainda conta que desenvolveu o programa com o apoio dos pais e a ajuda do irmão de 12 anos e que já pensa em abrir seu próprio escritório e contratar funcionários de várias partes do mundo. “Eu tenho várias outras ideias também, mas no momento eu só quero ver como o Summly pode crescer”, completou.

Fonte

Fonte da imagem: Foto – Reprodução Daily Mail

Google indica mudança no ambiente tecnológico

Um dia após apresentar certos problemas em seus resultados, o gigante da Internet, Google, teve queda de 8% em suas ações e não alcançou suas metas em termos de faturamento, o que evidenciou, ainda mais, seus esforços acelerados para encontrar espaço nos mercados móveis e de redes sociais.

Investimentos no software móvel Android e na rede social Google+, semelhante ao Facebook, representam oportunidade essencial de crescimento para a companhia, no futuro. Mas Wall Street ainda está tentando compreender seu impacto de longo prazo sobre o negócio do Google.

A rede social Google+, recentemente lançada pela companhia, tem 90 milhões de usuários no momento, ante 40 milhões há três meses. A plataforma móvel Android mais usada do mundo, à frente do iOS, da Apple, sendo um importante acesso dos consumidores a diferentes serviços do Google, e elevando o número de pessoas que veem os anúncios veiculados pela empresa.

No entanto, o valor recebido pela publicidade destinada a aparelhos móveis,em curto prazo, parece ser menor que o pago pela publicidade veiculada em seu serviço de buscas convencional. Além disso, segundo os resultados apresentados na sexta-feira, o custo por clique (CPC) – ou seja, o valor pago pelos anunciantes quando um usuário clica em anúncios vinculados a resultados de buscas – caiu pela primeira vez em dois anos, apesar do recorde atingido pelo comércio eletrônico nos Estados Unidos durante a temporada de fim de ano.

O presidente do conselho e vice-presidente de investimento da Jacob Funds, que detém ações do Google, Ryan Jacob, relata que seria relevante estudar melhor o efeito de um aumento na proporção das buscas do Google conduzidas via aparelhos móveis .“Eles não vêm obtendo o mesmo tipo de preços do lado móvel que costumam obter nas buscas em computadores”, disse Jacob.

A grande preocupação dos investidores deve-se a o fato dos pesados investimentos do Google em iniciativas móveis e de redes sociais para enfrentar concorrentes como a Apple e o Facebook, além da compra da fabricante de celulares Motorola Mobility por 12, 5 bilhões de dólares.

Fonte

Fonte da Imagem